Skip to content

Cresce o número de TV a Cabo na Venezuela

01/31/2010

A insegurança que obriga as a trancar-se em casa, a necessidade de que as crianças não precisem sair em ruas perigosas, as redes de TV, a baixa diversidade e os canais de sinal aberto de baixa qualidade … As razões são variadas, mas o fenômeno inegável: nos últimos tempos, o crescimento das assinaturas de TV a cabo na Venezuela tem sido vertiginosa nos setores populares.

Desde janeiro de 2008, o número de pessoas na Venezuela que têm TV a cabo em casa cresceu 45,2% (o agregado de 22% em 2008 e 19% em 2009), de acordo com dados da Cavetesu (Venezuelana de Televisão por Subscrição) e, embora não estejam classificadas por estratos ou estados, os moradores dos setores populares de Caracas dizem que o crescimento é muito mais elevado.

Cerca de três anos atrás, os operadores de TV a cabo nos bairros têm encontrado uma mina de ouro, e assim as empresas têm se multiplicado: Sistem a cabo em Antimano, Catia e Las Adjuntas, Cable Home em Antimano; Cabo Norte Petare, Caucagüita, El Valle e Sarria e Movistar, em quase todos os bairro de Caracas estão hoje a competir com a DirecTV.

Cabo Petare Norte tem pouco mais de 7 mil inscritos, ou seja, atingindo quase 30 mil pessoas, quando em Julho de 2007 (os dois últimos anos) atingiu apenas 12 mil. Sistema de Cabos e passou a Antimano 1.500 assinantes em janeiro de 2008 para mais de 3100 que tem hoje.

Este crescimento é suportado por aqueles que povoam os bairros de Caracas. Omar Gómez, que tem 49 anos que vivem em Carapita, disse que há nos últimos dois anos, clientes de cabo têm o dobro, pelo menos. “A rua está cada vez mais perigosa”, explica ele.

A mesma avaliação faz Cipriano Molina na beira da estrada Negra de La Vega: “Se há dois anos atrás, haviam dez residências com TV à cabo, agora há vinte, pelo menos. O que eu vejo nos canais a partir daqui? Novelas em alguns, a política dos outros. “

Do bairro 19 de Abril, em Petare, Marcos Vera concorda que os canais locais não atendem às expectativas e por que as pessoas migraram para a TV cabo, enquanto a vizinha, Campo Rico, Luis Croque diz que tudo começou após a saída do ar da RCTV dois anos e meio atrás: “Não foi a única causa, mas foi o que o convenceu. Ele era o único canal aberto à diversidade.”

Luis Tinedo, La Silsa, também acredita que o primeiro encerramento da RCTV tem a ver com o “boom” que tem visto nos últimos tempos nos três planos do setor, além de correntes excessivos. Mas José Abreu, no Bairro 70, Vale, acredita que em vez que a proliferação de usuários de TV a cabo é devido à politização do país: “O sinal está aberto ou é governo ou oposição. O resto é ficção”.

Javier Brassesco

Veja o texto original em EL UNIVERSAL – Caracas


Reflexão:

Sobre a notícia lida no jornal venezuelano, ficam as indagações sobre a miséria do povo venezuelano e sobre a acirrada censura do governo aos meios de comunicação.

Todos sabemos que Hugo Chaves não é querido pelo governo e empresas americanos. A propaganda anti chavista é feita por causa dos interesses das empresas petrolíferas americanas que se sentiram prejudicadas quando o petróleo passou a ser cobrado pelo seu justo preço, quando deixou de ser americano e passou a se destinar à melhoria de vida do povo venezuelano, que hoje tem poder aquisitivo suficiente para assinar uma TV a cabo de empresas americanas que fazem propaganda anti chavista mas sem afetar sua popularidade nas camadas mais necessitadas.

Acho que antes de criticar, devemos pesar os dois lados. Devemos procurar informações.

Que Chaves é populista, não resta a menor dúvida. Que tem sido duro com seus opositores, é claro para todos e ele não esconde isto. Mesmo porque seus opositores são muito poderosos e querem lucros maiores para eles e não para o povo. Sabemos que o capitalismo não tem pena dos miseráveis. Para lucrar algumas moedas à mais, não se importarão se alguém morrer de fome.

A pergunta é se nossos meios de comunicação, tão afinados com o capitalismo e com o neoliberalismo não estão apenas retransmitindo opiniões vindas dos Estados Unidos na detratação ao sistema governamental venezuelano.

Anúncios

From → Sociedade

12 Comentários
  1. É o que não canso de dizer, nossas “verdades” são as “verdades” que a mídia (completamente tendenciosa) nos passa. Somente com este senso cr´tico que você mosrta é que podemos ver a realidade com nossos próprios olhos.

    Grande abraço

    Renan

    • erickfigueiredo permalink

      Chegaremos lá, Renan. É uma questão de nos acostumarmos à democracia…
      Obrigado pelo comentário.

  2. LISONN permalink

    Saudações!
    Que Post Fantástico!
    Amigo ERICK, gostei muito do artigo e da análise… Quando o estado se torna truculento a clandestinidade passa a ser o portal da esperança. No que diz respeito ao petróleo venezuelano é somente uma ponta do potencial, e a meu ver hoje, não assusta. O grande potencial cobiçado pelo marechal do ar, terra e mar, Hugo Chávez, são as reservas minerais… Urânio, ouro, diamantes, – as melhores Esmeraldas do mundo-, e outros minérios, no dia que ele tiver o controle absoluto desses minérios, ele manda para o PAREDON, todos os jornalistas e os demais inimigos para muito distante.
    Estas foram às últimas palavras dele que eu ouvi no Aeroporto Eduardo Gomes, em Manaus “Tenemos diamantes, ouro, mucho, mucho, mucho”. Tive a oportunidade de ouvir suas fanfarrices por mais de 30 minutos naquela manhã.
    Parabéns pelo excelente Post!
    Abraços,
    LISON.

    • erickfigueiredo permalink

      Acredito que as modificações na administração das riquesas naturais da Venezuela foi muito importante. Foi retirada das mãos de poderosos “donos” do petróleo e direcionado para o povo.
      O que falta agora é a solidificação do regime. Falta estabelecer normas para que a democracia seja um instrumento partidário e não pessoal. Todos nós sabemos que a personificação do poder distorce.
      Vamos acreditar que a normatização seja possível e que haja alternância de poder com um governo voltado para o benefício do povo, dentro dos moldes estabelecidos atualmente, mas com a possibilidade de evolução. Para isto é importante o diálogo. Não golpes militares, pois este tempo tem que acabar de uma vez por todas.
      Abraços, amigo Lison.

  3. Olá Erick.

    Eu tenho acompanhado os noticiários de Chaves, mas bem de longe, isso porque o Brasil é complexo demais para a gente acompanhar o mundo inteiro.

    Eu diria que a Venezuela é uma Cuba II, ou seja, não tem tanto peso para nós, a não ser a brincadeirinha besta de Honduras, esse Chaves tem um senso de humor terrível.

    A Argentina, na minha opinião, tinha um peso maior, por ser, na época de sua grande crise, o segundo maior parceiro comercial, mas o Brasil, apesar da má distribuição de renda e miséria, é um país esperto suficiente para arrumar outro parceiro, a China.

    Acredito que sejamos mais dependentes da Bolívia do que outros países do Mercosul, pelo menos po enquanto. Sendo assim, aqui vale a máxima: “Cada país deve encontrar a sua própria saída, o seu próprio Governo”.

    Nós já passamos por essas ameaças de ditadura, hoje ainda temos os militares em nossa cola, mas eles não tem nenhum interesse em voltar ao governo, muito menos permitir um golpe de estado.

    Desejo sorte para os Venezuelanos.

    ABS

    • erickfigueiredo permalink

      Concordo plenamente. Desejo que a Venezuela encontre seu caminho democrático. Abraços.

      • erickfigueiredo permalink

        Acho que não é bem isto… rs rs rs
        Obrigado pelo comentário.

  4. Até que enfim entendi … O Chaves quer fechar as TVs pelo simples fato que tem muitas ….É quase o Darwin, fazendo uma seleção não natural.

  5. Olá, Erick!

    Evidentemente, muito do que de fala sobre o governante da Venezuela, da Bolívia ou de outros países da América Latina é a pura impressão de quem não suporta pobre ter vez. Claro que existem alguns exagero desses dirigentes, mas a maior parte do que se noticia a respeito deles é apenas a opinião de quem não gosta de políticas que beneficia os pobres.

    Abraços

    Francisco Castro

    • erickfigueiredo permalink

      É a inclusão da massa popular. Esta inclusão leva naturalmente à politização desta massa. E é isto que pode garantir a democracia. O próprio povo irá se cansar de Hugo Chaves e, pelas vias democráticas, elegerão alguém que possa substituí-lo, garantido o processo democrático.
      Obrigado pelo comentário.

  6. leo permalink

    O assessor do presidente Lula ataca a TV a cabo, por “difundir esterco cultural”

    http://www.imil.org.br/blog/top-top-top-na-tv-a-cabo/

    • erickfigueiredo permalink

      Muito obrigado, Cristina, pela visita.
      Visitei o teu blog e recomendo a todos os meus leitores.
      Forte abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: