Skip to content

A Confecom, a democracia e a as corporações midiáticas

12/20/2009

Alguns dos principais veículos de comunicação, como a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), a Associação Brasileira de Internet, a Associação Brasileira de TV por Assinatura, a Associação de Jornais e Revistas do Interior do Brasil, a Associação Nacional dos Editores de Revistas e a Associação Nacional de Jornais se retiraram da Confecom sob a alegação de tentativa de censura aos órgãos de comunicação.

 A alegação da censura pelos órgãos de comunicação deve-se ao fato de pretender-se a democratização do setor, do controle da informação pela sociedade. 

Durante a ditadura, foram extintos diversos órgãos de comunicação que se posicionaram contra o governo. Os que sobreviveram foram aqueles que, direta ou indiretamente, apoiaram o governo. Estes veículos se capitalizaram, fizeram alianças e dominam o mercado.

 Terminado o período de exceção, o controle deixou de ser exercido pelo governo através da força bruta, mas foi substituído pelo brutal poder econômico, que predominou desde então sufocando os pequenos, que não conseguem sobreviver por falta de recursos e gritam pela democratização do setor.

 Vejamos a grande afronta à liberdade de imprensa, alegada pelos grandes:

  • Controle social e participação popular: a proposta estabelece uma “garantia de mecanismo de fiscalização, com controle social e participação popular” no financiamento das emissoras e nos conteúdos de promoção de cidadania, no cumprimento de “percentuais educativos” e de produções nacionais.
    • Seria muito pedir conteúdo educativo?
    • As grandes corporações midiáticas acham que o que é veiculado hoje é educação.
  • Lei de imprensa: A Confecom também aprovou uma proposta que defende a criação de uma lei de imprensa.
    • Toda a atividade necessita de regulamentação para evitar os excessos.
    • As grandes corporações midiáticas se julgam acima do bem, do mal e da Lei.
  • Diploma para jornalista: entre as propostas aprovadas automaticamente, sem necessidade de crivo do plenário, está a que estabelece que a “formação superior específica é necessidade essencial ao exercício do jornalismo profissional”.
    • Exige-se diploma para qualquer atividade: médico, advogado, contador, engenheiro, etc. O jornalismo é uma ciência e necessita formação para ser exercido profissionalmente.
    • As grandes corporações midiáticas não precisam nem mesmo de Lei, quanto mais de diploma.
  • Políticos donos de emissoras: a Confecom aprovou por consenso a proibição de que políticos possuam emissoras de rádio e TV.
    • A imprensa deve, obrigatoriamente, levar informação com isenção.
    • Isenção pelas grandes corporações midiáticas? Sem comentários…
  • Observatório de Mídia: foi aprovada também a criação de um “Observatório Nacional de Mídia e Direitos Humanos”, para monitorar “desrespeito aos direitos do cidadão nas diferentes mídias brasileiras”. Pela proposta, esse observatório teria um departamento jurídico para resolver os “casos gritantes de desrespeito aos direitos humanos.”
    • Direito à pessoa humana deve ser dever de todos. Principalmente pela mídia, que tem o poder de execrar.
    • Segundo as grandes corporações midiáticas, não existe necessidade de respeito à pessoa humana.

 Chego à conclusão de que as chamadas “grandes corporações midiáticas” estão se lixando para a sociedade, para a democracia, para o profissionalismo e para os diretos humanos.

Anúncios

From → Sociedade

6 Comentários
  1. Saudações Natalinas!
    Amigo Erick,
    Que Post Fantástico!
    LI atentamente o seu texto e a conclusão ao que cheguei é a mesma sua… Esse pessoal está preocupado é com eles e algum dia devem pensar na hipótese da ideia em direitos dos telespectadores e demais!
    Parabéns pelo excelente Post!
    Abraços fraternos,
    LISON.

  2. Olá, Erick!

    Essas graande empresas de mídia querem mandar em tudo em nome da falsa liberdade. Em quarquer situação é sempre importante ter regras a serem seguidas. Sem regras, a liberdade pode se transformar em libertinagem, prejudicando mais do que ajudando.
    Essas grandes empresas querem mesmo é poder para dominar tudo.

    Abraços

    Francisco Castro

    • erickfigueiredo permalink

      Vamos torcer para que haja mais democracia também no acesso à informação. Tudo agora vai depender de um Projeto de Lei a ser encaminhado ao Congresso.
      Obrigado pelo comentário.

  3. Erick,

    Desejo-te um Feliz Natal e um Ano Novo pleno de Saúde e Felicidade!
    Espero que a Humanidade possa crescer na consciência de um Planeta saudável, sem fome, guerras e poluição.

    Beijos
    Luísa

    • erickfigueiredo permalink

      Também são meus os desejos de paz. E que tenhas um feliz Natal e um 2010 pleno de realizações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: