Skip to content

Ação contra os colaboradores da ditadura

11/27/2009

O Ministério Público Federal em São Paulo apresentou à Justiça uma ação civil que pede a responsabilização do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), do senador Romeu Tuma (PTB-SP) e do diretor da Eletrobrás Miguel Colasuonno pela participação na montagem e no funcionamento de uma estrutura para ocultar cadáveres de opositores da ditadura militar nos cemitérios de Perus e da Vila Formosa, em São Paulo, na década de 70. Maluf e Colasuonno foram prefeitos da capital e Tuma atuou no Dops (Departamento Estadual de Ordem Política e Social). O Ministério Público pede no processo que eles sejam condenados ao pagamento de indenizações no valor de 10% de seus patrimônios e à perda de suas funções públicas ou aposentadorias. A informação foi destaque nos principais jornais do país.

O papel de cada um:

  • Tuma formalizou prisões feitas ilegalmente pelo Exército brasileiro e fazia inquéritos policiais. Todos sabemos que ele era chefe do DOPS em São Paulo que torturava e, às vezes, matava o sujeito que estivesse sendo inquirido sob tortura.
  • Harry Shibata, por sua vez, teria assinado inúmeros laudos necroscópicos, atestando falsamente causa mortis incompatíveis com os reais motivos dos óbitos de inúmeros militantes políticos, como foi o caso de Wladmir Herzog, por exemplo.
  • Maluf foi prefeito de São Paulo durante a fase mais grave da repressão, tendo ordenado a construção do cemitério de Perus, projetado especialmente para indigentes e que tinha quadras marcadas especificamente para “terroristas”.
  • Depois veio a gestão de Colasuonno, quando o cemitério de Vila Formosa em 1975 foi reurbanizado, tendo sido destruinda a quadra de indigentes e “terroristas”.

Maluf reagiu ao inquérito: “Depois de 39 anos, abordar de forma leviana um assunto dessa natureza é no mínimo uma acusação ridícula. A procuradora da República responsável por essa acusação, mentirosa e caluniosa, deveria sofrer processo da Procuradoria Geral da República para a sua expulsão por demência caracterizada”. Não sabemos o que ele quis dizer com “leviana” nem com “assunto desta natureza”. Talvez ele, por nunca ter sido preso pelas suas falcatruas, ache que as “autoridades” do governo de excessão merecem toda a consideração e respeito, como o que tem alguns órgão de comunicação golpistas que chamam a ditadura de “ditabranda”.

Anúncios

From → Sociedade

4 Comentários
  1. Erick,

    É simplesmente absurdo, surreal, revoltante, ainda termos que aturar gentalha da laia desse Maluf, arrotando asneiras. Mas parece que eles perderam o senso do ridículo. Será que eles acham mesmo que todos têm amnésia??

    Será que eles não percebem que eles não estão na Terra do Nunca?? Peter Pan, do Judociário golpista, que fazia td e tds desaparecerem das visatas, não está mais invisível.

    Cambada de safados!!

    Põe fogo no circo voador dos urubus, isso aí, Erick!!

    Abs!!

    • erickfigueiredo permalink

      O pior são as famílias dos “desaparecidos” nesta época… Obrigado pelo comentário.

  2. É vergonhoso que muitos desses ainda sejam eleitos! Eles que aproveitem o momento, porque a tal da “amnésia” vem diminuindo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: