Skip to content

O que existe por trás do roubo das provas do Enem?

10/14/2009

impressora2

Segundo notícia da agencia Estado de hoje, o vazamento do teor das provas do Enem se deu em local não autorizado, aberto ao lado do local da oficina de impressão.

O responsável pela elaboração e distribuição das provas é a Consórcio Nacional de Avaliação e Seleção (Connasel) e o local da impressão previamente autorizado pela Comissão de Educação responsável pela elaboração das provas seria São Paulo e o manuseio seria no Rio de Janeiro. Como se vê, tal não ocorreu.

O que se viu, é que, a partir do local não autorizado, o capoeirista Felipe Pradella, que se diz segurança da gráfica Plural, mas cujo vínculo é negado pela empresa contratada para a segurança, confessou o roubo das provas na esteira de impressão. Inicialmente teria tentado vender a prova a estudantes mas achou mais fácil vendê-la para jornais.

Cinco pessoas já foram indiciadas: Felipe Pradella (furto, violação de sigilo e extorsão); o dono de pizzaria Luciano Rodrigues e o DJ Gregory Camilo Craid (violação de sigilo, corrupção passiva e estelionato); “Felipe” e “Marcelo”, os novos personagens (furto e violação de sigilo).


A polícia investiga ainda a participação de uma mulher no furto de uma terceira prova, segundo a Folha. Ontem, a PF interrogou Felipe Pradella, o “organizador de caixas” contratado pela Connasel, fotografado quando tentava vender, por R$ 500 mil, um exemplar da prova para jornalistas de “O Estado de S. Paulo”, que noticiou o vazamento.


A Plural entregou ontem à PF 136 cópias de DVDs com imagens captadas nos 36 dias que durou o trabalho na gráfica. “Felipe” e “Marcelo”, que haviam sido contratados pelo consórcio para fazer a separação e o ensacamento das provas, apontaram nas imagens o local e momento em que consumaram o furto. Já se sabe que uma das provas foi retirada da gráfica por volta das 3h do dia 21 de setembro. A outra prova foi desviada na madrugada do dia seguinte.


A advogada Claudete Pinheiro da Silva, defensora de Felipe Pradella, disse que a gráfica não era um ambiente seguro para impressão das provas do Enem. – A polícia já viu a fragilidade dos serviços prestados. Segundo comentários de um delegado federal, esse lugar era uma festa – disse a advogada, após acompanhar o depoimento de seu cliente por sete horas.


Conforme Claudete, nenhum funcionário era revistado nem na entrada nem na saída da gráfica e as imagens dos DVDs que já estão com a polícia mostram que “muitas pessoas tinham acesso às provas”.


Um detalhe interessante nisto tudo é o grupo empresarial ao qual pertence a gráfica Plural: nada mais nada menos do que a Folha de São Paulo.

Todos sabemos que o candidato apoiado pela Folha de São Paulo é José Serra. Todos sabemos que a Folha de São Paulo faz campanha sistemática contra o governo federal, com publicação de ficha falsa da Dilma, com o assassinato de cinqüenta milhões de brasileiros pela Gripe Suína e outros enganos que visam somente espalhar o pânico na população em uma tentativa de desacreditar o governo federal.
Quais teriam sido os interesses no roubo das provas do Enem?

Fonte: O Estado de São Paulo – Jornal do Brasil.

Anúncios

From → Sociedade

6 Comentários
  1. Saudações!
    Amigo Erick,
    Excelente Post!
    É muita história, estórias e versões, enquanto os vencedores e perdedores do certame licitatório, não se derem conta que as coisas estão mudando, vão acontecer isso.
    Acho interessante é aparecerem pessoas para defender o injustificável e o pior, é que muitos não se dão conta que é tão difícil PARA QUEM LEVA AS COISAS A SÉRIO CONSEGUIR ALGUMA COISA NA VIDA, que dirá quem deseja construir as coisas falseando e em cima de falcatruas, não tratando nada a serio.
    Parabéns pelo Post!
    Abraços!LISON.

  2. erickfigueiredo permalink

    Obrigado pelo comentário.

  3. Eu desconfiava que algo estava errado com estas informações e o único prejudicado foram os alunos ,que depois deste fato ficaram desmotivados e descrditados, ótimo post bem exclarecedor

    • erickfigueiredo permalink

      Infelizmente acabamos envolvidos por notícias incompletas e tendenciosas da mídia. Obrigado pelo comentário.

  4. Ok, pai. Que o roubo das provas deve ser averiguado, que todo e qualquer acontecimento que venha a macular a imagem do governo ao que se diz respeito a qualquer uma de suas políticas, dessa vez a educacional, que a folha não é flor que se cheire, que houve falha no sistema de segurança, etc, etc, etc, tudo isso tem que ser colocado a prova, sim! Mas acho sensato ponderarmos se não estamos no outro lado da moeda quando pensamos nas conspirações políticas: De um lado temos um fato que de modo estranho e questionável coincidiu com a já precoce corrida eleitoral e seus respectivos interesses e, do outro, a paranóia que se forma em cima disso tudo. Acho legítimo ficarmos com o pé atrás, mas daí a supormos que o roubo da prova do ENEM foi uma artimanha da oposição pra prejudicar o Lula e a candidatura de seu possível sucessor pode soar como uma conclusão ingênua. Há de se buscar uma certa reflexão e bom senso nisso tudo, pois de um lado temos: Uma oposição que tem coragem de dizer que pré-sal e olimpíadas não passam de estratégias eleitoreiras e do OUTRO temos pessoas absolutamente paranóicas a ponto de recair o dedo da culpa na oposição em todo e qualquer evento que possa prejudicar a imagem de Lula. Acho que é imprescindível termos o discernimento do que pode vir a ser uma manipulação da mídia ou de meras teorias conspiratórias. Sinceramente, ao ler esse artigo fiquei com a segunda opção e até posso debater com você o motivo: Tenho amigos que aqui acolá estão dentro do Ministério da Educação, pró-governo, e que, mesmo assim, me relatam absurdos da casa da mãe joana que o MEC é. Sim, até pode ser que a folha tenha tido um envolvimento nisso, até pode ser que foi tudo uma cospiração suja da oposição e da sua mídia particular, mas acharia bacana que além disso, reflitamos o que está acontecendo com a nossa política educacional que, fora a medida paleativa do bolsa-família que embora seja necessária e válida é incontestávelmente insuficiente, a educação no Brasil tem dado pouquíssimos sinais de avanço no que diz respeito às oportunidades equitativas educacionais. Pois você não concorda que alguém contratou essa gráfica, que alguém deveria estar tomando conta disso? Bem, mais do que ninguém você sabe o que é injustiça educacional: Pq eu, aluna do ensino público, tenho de pagar um cursinho ou entregar os pontos e pagar uma faculdade? Desculpe a sinceridade, mas não concordo com o argumento fácil de se depositar no vizinho chato o culpa da desorganização da nossa casa.
    Besos, papa.

    • erickfigueiredo permalink

      Concordo com a falta de eqüidade ainda existente na educação, mas não podemos ignorar a sistemática campanha da elite paulistana representada pelos seus órgão de divulgação que se dizem de informação para desacreditar o governo federal com a clara intenção de promover Serra como alternativa menos pior do que o que tentam nos fazer acreditar seja o atual governo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: