Skip to content

Moisés, o Egito e o princípio de tudo

08/16/2009


Existe dúvida sobre a própria existência de Moisés ou do êxodo, já que os relatos egípcios não citam tal fato, que também não foram comprovados arqueologicamente de forma incontestável. Mas, independente de sua existência o Torah existe e existem as religiões cristãs e muçulmanas. Seu próprio nome é um mistério, pois pode ter origem teofórica egípcia quando junta Més, que na forma grega é Mósis e significa filho de Deus, assim como Ramsés significa o filho do Deus Rá.
Estudiosos da História acreditam que o período que Moisés passou entre os egípcios serviu para que ele aprendesse o conceito do “Monoteísmo”, criado pelo faraó Akhenaton, o faraó revolucionário, levando tal conceito ao povo judeu. Moisés nasceu no governo do Faraó Ramsés I no período entre 1250 a.C. e 1210 a.C., que foi sucessor de Akhenaton, que instituiu no Egito o monoteísmo, proclamando a supremacia de um só Deus, Amon-Rá. Os sacerdotes dos demais deuses se revoltaram contra Akhenaton e Ramsés, originalmente chamado Paramessu, que não era nobre mas um militar que tomou o poder pelas mãos dos sacerdotes revoltados com Akhenaton.

E no convívio com os faraós ou com sacerdotes que Moisés conheceu Amon-Rá (o sol) representado como homem com barba postiça, de pele negra ou lápis-azúli (alusão ao culto de Amon como deus celeste), com a cabeça era encimada por um disco solar, uraeus, e duas plumas. Cada uma dessas plumas encontrava-se dividida verticalmente em duas secções, que refletiam a visão egípcia dualista (rio Nilo/deserto; Vida/Morte…) e horizontalmente em sete segmentos. Na parte posterior da coroa podia levar uma fita vermelha. Na mão direita segurava um ankh e na esquerda o cetro uas. Em algumas representações Amon surge com um falo, resultado de sua associação com o deus Min. Amon era também considerado o rei dos deuses. Muitas vezes era associado ao deus Rá (ou Ré), formando assim o deus Amon-Rá, o deus que traz o sol e a vida ao Egito. Era representado na forma de um homem em túnicas reais com duas plumas no cabelo.

Moisés conduziu o povo de Israel na peregrinação pelo deserto por 40 anos. Viveu no reinado de Ramsés II que sucedeu ao pai em 1279 ou 1278 e, através do estudo da religião egípcia, reservada somente aos reis mas à qual teve acesso por estar na corte, escreveu o Torah com base nos relatos ouvidos, que conta a história da humanidade fundamentado nas lendas e relatos que conheceu por tradição oral e compilou as Leis que orientaram os judeus. Tudo aprendido no convívio com os faraós.

Vejam que, baseados na religião egípcia falamos de três grandes religiões que norteiam a maior parte da humanidade: judeus, cristãos e mulçumanos. Assim podemos não ter a certeza da existência de Moisés, mas temos a certeza de que o Torah existe e é o livro sagrado dos Judeus e faz parte dos livros sagrados Bíblia dos cristãos e Alcorão dos mulçumanos. Os ensinamentos escritos há tanto tempo atrás nortearam a sociedade e os costumes de grande parte da humanidade e por isso é real.

Moisés não se tornou Deus, mas nos ensinou que existe um só Deus, que para grande parte dos seguidores do Torah e seus sucedâneos Bíblia e Alcorão, não pode ser representado de forma física. Entretanto os cristãos, que influenciados pelos Romanos, que escreveram a Bíblia, resolveram dar representação física a Deus, criando, como nas culturas antigas, deuses menores: os santos e anjos da igreja católica romana que têm uma função divina ou semi-divina.

Por isso devemos reverenciar (não endeusar) Moisés, que independente de sua existência, formou o pensamento do homem moderno.
Anúncios

From → Sociedade

23 Comentários
  1. interessante, realmente aprendimuito com esse texto.

  2. O texto é tão bom como o ponto de vista apresentado.

    A passagem em que Moisés transforma seu utensilho em serpente, o que é imitado pelo mágico do Faraó, onde a Serpente transformada por Moisés devora a outra serpente, é um dos pontos fascinantes, onde há a magia, reconhecidadente mágia, e onde há o misterioso Moisés, é como se fosse uma resposta ao desafio.

    Sabe quando você vê alguma coisa, a qual você não acredita, apesar de ser real, na sua frente?

    A história de Moisés é muito rica em passagens emocionantes.

    ABÇs

  3. eu amo moises pois ele era muito bom eu so tenho 10 anos mas eu acredito muito em deus

  4. Amanda permalink

    estou lendo o livro de Ramsés, neste livro conta que Moisés era amigo de Ramsés e o ajudou a construir Pi-Ramsés. Diante de tantos deuses fantasiosos reverenciados pelo faraó e o povo egipcio, Moisés ficou irado e fugiu deixando Ramsés muito triste. Para ele havia só um Deus, unico e verdadeiro e não aquele monte de baboseira egipcia

  5. IRENE RILZA SERAFIM FERREIRA permalink

    Moisés existe com certeza, eu fiz regressão e vi a mãe o deixar no rio, a irmã ajudando e vigiando, vi a princesa mandando uma moça pegar o cesto,ele comendo papinha dada por uma senhora que parecia sua mãe, voltando ao momento de colocá-lo no rio, sua mãe fez que ia lhe dar de mamar e o enganou deixando-o a chorar de propósito, para ser percebido. Depois o vi estudando numa das salas do palácio do faraó.

    • erickfigueiredo permalink

      Então, Irene, agora podemos ter a certeza científica que nos faltava, Precisamos publicar esta tua descoberta para que todo o mundo possa ter a mesma certeza que temos…

  6. De certo modo seu texto tem uma relevância, porém. Achei o tom um tanto imperioso, pois em algumas passagens você não sugere (em fatos não confirmados historicamente), você afirma. Afirmar que Moisés escreveu a Torá baseado na religião egípcia é, no mínimo, ingênuo, devido ao fato de que antes de toda essa revolução religiosa que vc cita ter acontecido no Egito, o povo judeu já servia a um único Deus. É mais provável que o advento de José tenha influenciado os egípcios a aderirem ao culto monoteísta, do que os egípcios terem influenciado Moisés.
    Segundo seu relato, Moisés teria sido um grande mentiroso, inventando toda aquela história dos 10 mandamentos. Das leis do Levítico que teriam sido dadas por Deus, tudo teria sido copiado dos egípcios…

    • erickfigueiredo permalink

      Interessante tua teoria de que os judeus levaram o monoteísmo aos egípcios, embora sua entrada no Egito tenha sido posterior a Ramsés.
      O segundo comentário, sobre ter sido Moisés mentiroso, pode ter sido erro de comunicação meu ou de interpretação sua, pois as Leis de Moisés nada tem a ver com a religião egípcia.
      Obrigado pela visita

    • CONCORDO, MOISÉS FOI INSPIRADO POR DEUS AO ESCREVER O PENTATEUCO E NAO POR ENSINAMENTOS EGÍPCIOS ,NÃO NOS ESQUEÇAMOS QUE ELE VIVEU POR 40 ANOS NO DESERTO DE MIDIÃ TEMPO SUFICIENTE PARA ESQUECER DOS COSTUMES EGÍPCIOS !@

  7. Veralobato permalink

    E muito interessante a forma que voce escreve sobre Moises no antigo egito, o que deve ser reconhecido como fonte de pesquisa. Apesar de haverem algumas discordancias quanto a minha optica historica sobre o mesmo assunto…mas e interessante abordar esse tema e tentar deixar explicitos tais fatos.

    • erickfigueiredo permalink

      Obrigado pela visita e pelo comentário. Não sou historiador, apenas um curioso.

  8. Assim é a humanidade, não acredita em Deus, mas acredita no homem. Deus existe e é Eterno, homens que existiram e contestaram a Deus não mais existem.
    Jesus morreu na cruz e ressuscitou ao terceiro dia e hoje reina como Rei dos Reis e Senhor dos Senhores para sempre. Me diga quem realmente é verdadeiro? O Criador, ou homem que do pó veio e ao pó o tornará?

  9. Orlando permalink

    Analisando Moises nos dois primeiros livros da biblia, podemos tirar claramente a conclusão de quem ele foi.
    Antes de avaliar o Exodo, onde ele foi parte ativa, devemos avaliar o Genesis que ele escreveu para dar sustentação a tudo. Segundo a história biblica dividimos a nossa existencia em tres partes; de Adão a Noé 1700 anos, de Noé a Jesus 2300 anos, de Jesus a Nós hoje 2000 anos.
    Como entender que Moisés 2800 anos depois de Adão, pudesse ser o primeiro a escrever o primeiro livro da biblia, como ele conseguiu imaginar todo aquele acontecimento.
    analisando à parte o diluvio encontramos algumas dúvidas que eu gostaria que me esplicassem,
    primeiramente seria Deus covarde matando todos inclusive as crianças inocentes, para recomeçar a humanidade, não seria mais correto e simples eliminar somente os maus.
    acontecendo o dilúvio como colocar juntos na arca o casal de pinguim do polo sul, o urso polar do polo norte e o leão das savanas a 40 graus e como faze-los sobreviver.
    Como chover noites e dias até inundar o globo terrestre para eleminar toda a carne existente, se só podemos ter chuva com nuvens a 2000 mts, para alcançar os picos mais altos as nuvens choviam dentro das aguas?
    sabemos que no pico do everest nunca choveu, pois nunca existiu nuvens lá.
    De onde foi trazida tanta agua, até hoje lutamos para descobrir agua em outro planeta, chuva que cai na terra e agua que sobe da propria terra, como aumentar a massa do globo terrestre, se não fosse assim para onde foi toda essa agua apos o diluvio, sabemos que unica maneira de eliminar essa agua seria evaporando, porém tornaria a chover.
    Isso é só um pouco das aberrações do Genises… Será que é possivel acreditar na história do segundo livro que ele escreveu, o Êxodo em que ele foi parte ativa.

    • erickfigueiredo permalink

      Na realidade temos que considerar que, conforme você disse, Moisés escreveu o Gênesis para das sustentação aos demais livros e que se destinou a narrar a história da humanidade tendo como centro o próprio povo Judeu, uma vez que seria o escolhido por Deus para liderar a humanidade, assim como ocorreu nos demais povos que possuíam língua escrita, cada qual narrando seus costumes e tradições que remontavam a milhares de anos. A narração era do que se ouviu falar, de tradições orais ouvidas dos antepassados que nem sempre se referiam ao povo objeto central da narrativa. E devemos lembrar que havia um mundo conhecido que era considerado como toda a extensão existente, uma vez que o que não se conhecia não era considerado.

      No caso do dilúvio, existe coincidência na narrativa em diversas culturas. Uma lenda muito antiga que falava da inundação de todo o mundo conhecido, que era muito restrito. Muito provavelmente a narrativa estava se referindo à inundação ocorrida quando o Mar Negro e o Cáspio, que eram lagos formados pelo degelo das neves existentes à época, aproximadamente no ano 5600 aC, romperam barreiras e inundaram aquele trecho de terra em direção ao mar, causando uma mega inundação.

      Noé é uma figura mítica que explica o porque, havendo sido exterminada toda a vida na terra (apenas a conhecida), houve a continuidade da vida animal. E como era considerado o mundo apena o que se conhecia, não havia como falar em pinguins e ursos polares, pois não sendo conhecidos, não existiam.

      Não se trata de aberração. É apenas a forma que se viam os acontecimentos naquela época.

  10. Orlando permalink

    Quando questiono certas colocações sobre termos biblicos, apesar de fugir do assunto em questão, é por ouvir tantas colocações quase que obrigando os telespectadores a acreditarem que esta é a palavra de Deus, foi Deus que escreveu etc., estamos percebendo que a melhor marca existente no mercado é Jesus, de tanto se falarem em vão seu nome, tudo isso para acertar o pobre coitado que acredite e infelizmente o mundo está cheio destes.
    E como relatei acima Deus jamais cometeria tantos erros.
    por exemplo ele jamais consideraria o povo hebreu ou a região onde viviam como se fosse o mundo. Sabemos também que a linhagem daquele povo jamais poderia servir de base para imaginar tantos anos de percurso de vida, como se fosse verdadeiro.
    Parece que os nossos religiosos atuais atuam mais como comerciante da fé do que educadores religiosos,
    Isso é muito triste

  11. Ivani Medina permalink

    O pior, o mais trágico de tudo é que prevaleceu a forma e o preconceito decorrente dela. A essência ficou perdida nas areias do deserto da imbecilidade.

  12. elton permalink

    Gostei muito de texto.

  13. LAERCIO permalink

    so de imaginar nossa existencia, vimos tamanho misterio,pois sabemos que o criador tudo pode.
    por isso devemos so acreditar em DEUS criador.

  14. Orlando permalink

    É bom entendermos que Moises é citação do Torah, a Biblia e o Alcorão só copiaram os dados do primeiro Livro judaico, portanto não podemos afirmar que os tres seguimentos religioosos fazem a mesma citação, pois neste caso quem cita na verdade é o Torah.

  15. Ester permalink

    Muito útil tua pesquisa. Ampliou meu conhecimento sobre como era a religião naquele tempo.

  16. marcelo permalink

    seu texto tem varias confusões ramses I não era pai de ramses II sim seu avô o pai dele era o faraó seti I, alias ramses I não sucedeu a akinaton e tutankamom eles foram sucedidos pelo faraó Ay e este por Horenheb

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: