Skip to content

Woodstock, visto por mim, 40 anos depois

08/15/2009
Tinha 18 anos. Gostaria de ter ido mas não fui. O Brasil estava em plena ditadura e por causa dela havia me transferido para o interior do Estado de São Paulo. O mundo vivia a guerra do Vietnã. E eu naquela turbulência vivendo meus melhores e piores dias, descobrindo sentimentos e emoções que concluíam minha formação junto com a formação do mundo como hoje os jovens o conhecem.
Eu descobri que o jovens do interior de São Paulo tinham os mesmos sentimentos e pensamentos que eu, que por causa da ditadura migrara para uma cidade militar. Eu descobri que os jovens são jovens e que não havia distinção de sentimentos entre eles, revoltados com a ditadura, com a guerra do Vietnã e com os costumes e a sociedade. O mundo melhorou por nossa causa. Hoje os filhos dos brigadeiros de então talvez hoje sejam brigadeiros melhores. Os filhos dos civis que marcharam pela tradição e pela família hoje são socialistas defensores da democracia e da liberdade. Todos nós, jovens de então, criamos um novo mundo que está melhor.

Em meio a tudo isto assistíamos extasiados a Feira de Música & Ate Woodstock, que hoje, sábado, 15 de agosto de 2009, faz 40 anos. Eram 15 de agosto de 1969 e na fazendinha de 2,4 quilômetros quadrados de Max Yasgur, na cidadezinha rural de Bethel, Nova York, acontecia a grande mostra da Era de Aquarius que exibiu ao mundo sua face libertária, provocadora, iconoclasta, naturista, enlameada e confusa.
Woodstock6Éramos todos utópicos hippies e sonhávamos com um mundo diferente e melhor. Posso dizer que, 40 anos depois, o mundo tornou-se melhor. Não a sociedade anarquista sonhada pelos hippies de então, mas melhor do que era até então. O festival detonou uma revolução comportamental. No Brasil o AI5 institucionalizava o regime de excessão. Richard Nixon, eleito com o discurso havia feito uma campanha baseada no lema ‘paz com honra’ no Vietnã, pressionado pela opinião pública mundial (a guerra durou até 1975). Em meio a isto tudo, Woodstock. Em meio a isso tudo, eu e os restante dos jovens. Joan Baez, grávida de seis meses, sobe ao palco encerrando as apresentações do dia 15 de agosto, uma sexta-feira. No dia seguinte, Carlos Santana e Janis Joplin sobem ao palco bisando duas das músicas apresentadas. Maconha era fumada por todos mas a droga da moda era o ácido liségico, o LSD.
Vendidos 186.000 ingressos, esperava-se um público de 200.000 pessoas. Compareceu o triplo do esperado e o festival tornou-se livre e gratuito. Um mês antes Neil Armstrong pisara na lua, para desespero dos poetas, seresteiros e namorados, como disse Gilberto Gil na época. Um mês depois Charles Elbrick seria sequestrado.
Os jovens mudavam o mundo e no meio do torvelinho estava eu, um jovem que ajudou a mudar o mundo.
Anúncios

From → Sociedade

4 Comentários
  1. Caramba, como você é otimista!!! Também sou dessa geração e do interior de São Paulo. Ajudamos a mudar o mundo, sim. O mundo está mesmo muito mudado. Porém, isso não significa que ficou melhor. Não se esqueça de observar que os grandes mandatários – os grandes ladrões de hoje, tanto na sociedade (política, indústria, comércio, etc) como na religião – também são de nossa geração. Que nós colaboramos para mudar o mundo, não tenho dúvida nenhuma. Lado outro, não tenho a mesma certeza com relação a melhorar o mundo. Existem coisas que melhoraram muito, sim. No entanto, não creio que foi por nossa causa, baseado em Woodstock. E olhe que sou e continuo sempre roqueiro. Abraços

    • Obrigado por teu comentário. Tens razão quando dizes que não foi por causa de Woodstock, que foi apenas um concerto de rock citado apenas como símbolo de uma época. Discordo quando dizes que o mundo e o Brasil não melhoraram: acabou a ditadura e vivemos em uma democracia, as relações internacionais estão melhores, o Brasil cresceu e evoluímos para um sistema inexistente naquela época que investiga denúncia, coisa que naquele tempo era taxado como subversão… Ainda falta, mas melhorou.

      De verdade sou mesmo otimista… Fazer o que?

  2. Adorei ler isso de uma pessoa que naquele momento estava numa idade de transformações e crescimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: